Pesquisar este blog

11 abril 2020

TEMPOS GLORIOSOS DE UM MARANHÃO EM DECADÊNCIA


O Maranhão no início do século XIX, era visto como uma importante potência econômica das demais províncias brasileiras, sendo que a escravidão, foi o mais forte elemento gerador de opulência para os grandes proprietários de terras. Com isso, os intelectuais da época, ou os seus contemporâneos, frutos do próprio contexto histórico que viviam, descreveram, criticaram e apontaram as estruturas socioeconômicas do Estado.
Sem deixar de apontar, escritores como Mário Meireles e Jerônimo de Viveiros exaltaram os gloriosos momentos de opulência que a província outrora viveu, mas eis que todo este “país das maravilhas” também encontrou o seu calcanhar de Aquiles, e logo o encanto de riqueza começara a se perder.

A decadência econômica no Maranhão não ocorreu de forma repentina, foi um processo longo e cauteloso que se configurava aos poucos dentro de um campo que vinha sendo moldado. Através disso é que temos noção das diferentes visões dos problemas que ocasionaram a decadência na vida econômica e social da província. É nos escritos de alguns intelectuais da época, como Jerônimo de Viveiros, que irão explicar de maneira justificada e satisfatória o processo que ocasionou a decadência em todo o sistema social e econômico do Maranhão Colonial e Imperial. 
Nesta matéria, trago um ensaio teórico (LINK https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnx0ZW1wb3NpbnRlcmVzc2FudGVzMjAyMHxneDo1YThiNDc5ZDdmZjRjNzZj ) acerca dos apontamentos feitos pelo historiador Jerônimo de Viveiros que levantou argumentações importantes em sua obra para explicar o processo de decadência econômica que o Maranhão começou a enfrentar após os seus anos dourados.

LINK DO ENSAIO 🔽

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.