Pesquisar este blog

10 abril 2020

O SÉCULO DAS LUZES: O ILUMINISMO CHEGA AO MUNDO MODERNO


O físico Galileu Galilei tinha 68 anos quando apresentou ao mundo Europeu as suas ideias astronômicas de que o sol é o centro de todos os corpos celestes e que a terra é um planeta girando ao redor de uma estrela maior. Até estas terríveis afirmações, todos acreditavam que a terra era o centro do universo, isto é, o mundo criado por Deus sendo um projeto divino, deveria está ao centro de tudo, tal mentalidade vinha desde a antiguidade e reforçou-se ainda mais no período medieval quando a Igreja Católica Romana do Ocidente se fixou como a única e verdadeira religião salvadora das almas perdidas e desorientadas no mundo pecaminoso.
Assim como Galilei, o matemático francês René Descartes também sacudiu o mundo moderno com as suas ideias de desconstrução da fé e do nascimento de uma nova maneira de pensar o mundo. Para Descartes, a razão era o centro da mentalidade humana e em sua obra “Discurso sobre o método” ele apresentou debates até então impensável pelo o homem, onde segundo ele, para se chegar a verdade, devemos duvidar/ questionar de tudo que temos como verdade absoluta, a partir do uso da dúvida podemos chegar a uma compreensão do mundo tal como ele é e não como aprendemos a vê-lo.

Nascia então o iluminismo, ou o século das luzes. A idade média denominada por muito tempo por historiadores e filósofos tradicionais, como o “período das trevas” – é um erro grotesco chamar um tempo histórico que teve as suas invenções de acordo com a mentalidade da época com este termo – viu-se desaparecer aos poucos com a chegada das luzes da razão.
O iluminismo, isto é, o desenvolvimento de novas ideias em contraposição aos pensamentos medievais, tomava forma com as teorias físicas, filosóficas, astronômicas, artísticas e matemáticas que iam surgindo. É claro que pensadores tradicionais ou discípulos destes não acreditavam nas ideias iluministas, e muitos de seus defensores foram perseguidos, presos ou até mesmo mortos durante o século das luzes.
Por assim dizer, o mundo europeu passou então a respirar novos ares, era como se o paraíso construído ao longo do tempo pela igreja não tinha mais o mesmo valor que antes. Deus saiu de seu trono pelo o uso das luzes de pensadores como Galilei, Descartes e Newton, e colou a razão em seu lugar. Agora seria só uma questão de tempo para que o homem enxergasse a consciência como autora de seus medos, ideias, superstições e fé. O mundo não era mais o mesmo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
DESCARTES, René. Discurso do método; Meditações; Objeções e respostas; as paixões da alma; Cartas. São Paulo: Abril Cultural, 1979.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.